Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dia de Hoje

Dia de Hoje

16
Out22

Dia de hoje 69 - Canto triste V

Zé Onofre

             69

 

                Canto triste V

 

022/10/16

 

Caminhamos sob um manto cinzento,

Cada um de nós vai só, surdo e mudo

Distraído da vida que vai sem alento

Como se só viver por viver fosse tudo.

 

Agora, caminhamos tristes cabisbaixos

Sujeitos a viver sem passado, nem futuro.

 

Se alguém nos olha com seu ar perdido,

Coisa mais natural nos tempos que correm

Engana-se. Parece-lhe um ser decidido,

Por baixo da pose vê um ser que nada tem.

 

A toda a parte chegamos como se nada

Fosse terem-nos tirado todo os direitos.

Sentamo-nos lado a lado pensando, cada

Um que tem que se amanhar a seu jeito.

 

Somos homens presos na cadeia do medo,

Com temor até de com os outros partilhar

O trabalho que esperamos logo mais cedo

Receosos que se suspeitam o vão roubar.

 

Agora, caminhamos tristes cabisbaixos

Sujeitos a viver sem passado, nem futuro.

     

Eles assustam todos com palavras mansas,

Calaram-nos com dois patacos e a ameaça

De monstros, como se fossemos crianças,

Se não queres assim, não falta quem o faça.

   

Jazemos como mendigos às portas da vida,

Pedindo, olhar baixo, por favor a esmola

De um trabalho. Prescindimos da devida

Paga e aceitamos como se fosse o totobola.  

 

Agora, caminhamos tristes cabisbaixos

Sujeitos a viver sem passado, nem futuro.

Agora, caminhamos tristes cabisbaixos

Sujeitos a viver sem passado, nem futuro.

08
Abr22

Di<a de hoje 41

Zé Onofre

                   41

 

022/04/08

 

Passo atrás de passo,

Sem saber para onde vou,

Se é que vou,

Se é que marco passo,

Ou se me arrasto em círculos fechados.

 

Passo atrás de passo

Fico passado

De tanto andar.

Se ao menos uma luz,

Uma minúscula chispa

Me indique um rumo

Que me retire deste labirinto,

Tão labiríntico

Que a cada instante

O labirinto já é outro.

 

Passo atrás de passo

Não sei se sou vou só,

Ou se sou um processionário.

Não sei se regresso,

Ou se me alongo para lá do visível,

Ou se ando perdido num filme de que não faço parte.

 

Passo atrás de passo,

Enredo-me no passado,

Perco-me no presente,

Rodando até à loucura,

À descoberta da porta,

Da janela, ou será apenas uma fenda,

Que leva ao futuro.

   Zé Onofre

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub